Colunas

10 filmes pra completar sua bad

bad

Filmes alegrinhos são ótimos, mas todo mundo tem aquele dia bad em que tudo o que você quer é ouvir música bad e ver filmes bads também. Uma coisa completa a outra.

Pensando nisso, o CiFU resolveu montar uma lista básica e rápida com 10 filmes bads que vão completar seu dia. Vamos lá?

A vida é bela

Vamos começar com um drama envolvendo a família.

Em A vida é bela você sofre e chora enquanto a família sofre durante a Segunda Guerra Mundial. Com encanto e maestria, o pai usa sua criatividade para contar histórias e proteger quem mais ama. Prepare o lencinho porque as lágrimas vão rolar soltas.

Roberto Benigni, 1999.

 

O caçador de pipas

Continuamos no clima de guerra, mas em um contexto diferente e mais atual.

O caçador de pipas acompanha dois amigos e infância que se amam e se protegem, mas por vários empecilhos são separados. Anos depois, após uma tragédia, um dos amigos vai em busca da família do outro tentar consertar alguns erros.

Marc Forster, 2007.

 

menino_pijama

O menino do pijama listrado

Ih, parece que só dá guerra nessa lista, mas é porque o gênero causa muitas lágrimas.

O menino do pijama listrado é uma história comovente sobre como uma criança enfrenta o período de guerra sem saber muito bem como as coisas funcionam. Ele encontra um amigo, mas infelizmente seu companheiro está do lado errado da cerca. Mas, para crianças, isso é um mero detalhe.

 Mark Herman, 2008.

a-walk-to-remember

Um amor para recordar

Saímos da guerra, mas entramos no romance do começo do milênio e as lágrimas continuam.

Um amor para recordar conta a experiência de Jamie ao começar a se envolver com o bad boy da escola, o cara que tinha tudo para desprezá-la só por ser popular. O clichê não decepciona e o filme traz surpresas emocionantes de dar frio na barriga. Um clássico!

 Adam Shankman, 2002.

herfilme

 Her

Saímos da guerra, mas entramos no romance do começo do milênio e as lágrimas continuam.

Em um mundo tecnológico, mas não muito distante, Her retrata o relacionamento de humanos com assistentes digitais pessoais. Não rola tanta lágrima quanto nos outros, mas continua na lista bad por nos fazer repensar o que move as relações sentimentais. O que é realmente necessário?

Spike Jonze, 2014.

truman

O show de Truman

Ainda no âmbito da realidade paralela, O show de Truman é outro filme pra nos fazer repensar conceitos básicos da vida.

Estamos acostumados a ver Jim Carrey na comédia e ele até faz um pouco neste filme, mas o propósito é diferente. Ele vive trancado em um reality show e tudo à sua volta é mentira, mas ele não sabe disso. Continua sendo guiado através das falsidades enquanto sua vida é exibida pela televisão.

Peter Weir, 1998.

confiar

Confiar

E este é um dos filmes mais reais da lista.

Uma adolescente com um namorado virtual. Levar esta garota a descobrir que seu namorado virtual, na verdade, é um adulto e tudo o que ele quer é abusar de sua inocência não é trabalho fácil. O crime disfarçado de romance é angustiante neste filme. Principalmente após ver o final.

David Schwimmer, 2011.
uma prova de amorUma prova de amor

Outro drama familiar com apelo sentimental fortíssimo.

Quando uma família se vê encurralada por um câncer em um de seus membros, nós, telespectadores nos angustiamos com a saída encontrada. O filme fala sobre os sacrifícios que cada um deve fazer para manter a família. As lágrimas são inevitáveis.

Nick Cassavetes, 2009.

estrelas

A culpa é das estrelas

Esse já foi mais assistido que Lagoa Azul, mas rever nunca é demais.

Outro filme sobre câncer, outro filme sobre lágrimas que não param de cair em todos os momentos do filme. Uma história surpreendentemente engraçada, cheia de referências interessantes da adolescência e o friozinho na barriga da história do primeiro amor.

Josh Boone, 2014.

ps

Ps: Eu te amo

Esse é pra cair o olho da cara.

Quando o marido dela morre e deixa cartas para se despedir, Holly precisa acompanhar todas enquanto descobre como se adaptar à realidade da nova vida. É um filme muito emocionantes com cenas tristes e engraçadas pra gente se identificar e chorar com a atriz.

Richard LaGravenese, 2008.
Tá pouco? Conhece mais filmes da bad pra morrer de chorar? Conta aqui nos comentários. Nós vamos adorar saber sua opinião 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *